TDAH e bruxismo

TDAH e bruxismo

TDAH e bruxismo

TDAH é um comprometimento neuro comportamental com início na infância, e caracteriza-se por um conjunto de sintomas que envolvem hiperatividade motora, impulsividade e desatenção (pode ser apenas um destes sintomas, ou combinados). No adulto, as principais características são déficit de atenção, instabilidade emocional e desorganização, além de serem comumente notados os distúrbios do sono. Dentre os distúrbios do sono, o bruxismo apresenta alta incidência nestas pessoas. O bruxismo é caracterizado pelo comportamento de apertar e/ou ranger os dentes, o que pode levar, entre outras sequelas, a um desgaste anormal dos dentes e intensas dores nos músculos associados à mastigação.

O TDAH afeta em trono de 5% das crianças com idade inferior a 18 anos, e pode persistir após a adolescência em até 30% a 70% dos casos, com prevalência de 4,4% nos adultos. A grande maioria dos estudos observa um predomínio 2 a 3 vezes maior do transtorno no sexo masculino. Este distúrbio contribui negativamente no desenvolvimento global do indivíduo afetado e causa prejuízos funcionais em vários segmentos da vida. Quando comparados à população geral, estes pacientes possuem menor nível socioeconômico, maior dificuldade no trabalho e histórico de várias mudanças de emprego, o que compromete a autoestima e suas relações interpessoais.

Adultos com TDAH em situações monótonas ou quando pobremente motivados queixam-se de dificuldade para focar atenção e selecionar estímulos relevantes. São muitas vezes considerados sonhadores, distraídos, esquecidos ou até mesmo irresponsáveis. Falta de persistência para a complementação de tarefas resulta em abandono de atividades, baixo rendimento profissional e acadêmico. Também há indivíduos que se caracterizam por uma impulsividade desmedida que muitas vezes acarreta em conflitos pessoais.

Muitos destes pacientes são encaminhados a psiquiatras e psicoterapeutas, pois apresentam freqüentes comodidades como depressão, ansiedade, distúrbio de sono ou abuso de substâncias.

Não existe um modelo patofisiológico definitivo para o TDAH, e os estudos têm sido direcionados para três linhas de investigação: estudos neuropsicológicos, farmacológicos e identificação de correlatos bioquímicos.Os ambientes também influenciam com o aumento de risco: uso de tabaco, álcool e estresse psicológico durante a gestação.

Problemas do sono, particularmente dificuldades em iniciar e mantê-lo, foram observados em até 56% de crianças e adolescentes com o TDAH, quando comparados com 25% sem o problema. Problemas do sono em adultos ocorre em cerca de 70% a 80% dos afetados pelo TDAH. Chegou-se a pensar se a medicação utilizada para o tratamento não seria a responsável pelo problema, mas recentemente identificou-se que não. Dentre os principais sintomas associados ao TDAH estão o sono agitado, a apnéia noturna, o ronco, o terror noturno e o bruxismo.

Quanto ao bruxismo, pode ser classificado como bruxismo em vigilia (BV), caracterizado pelo ato de apertar os dentes durante o dia, ou bruxismo do sono (BS), caracterizados pelo ato de apertar ou ranger os dentes durante o sono. O BV apresenta uma prevalência de 20% na população geral. Já o BS ocorre em aproximadamente 8% da população. Estes dados provém de artigos científicos fidedignos. Porém, em minha experiência pessoal, e por atender uma população eminentemente executiva, entendo que estes números apresentados são muito mais baixos do que encontro na minha prática clínica.

Casos severos de BS resultam em desgaste pronunciado dos dentes, retrações gengivais, mobilidade dental, aumento de volume ósseo mandibular e/ou maxilar, inflamação pulpar, sensibilidade dentária, dor mandibular, dores de cabeça, alterações nas articulações temporo-mandibulares, limitação dos movimentos manipulares e sons de atrito entre os dentes ao dormir.

O diagnóstico do BS é feito com a polissonografia. Porém, por ser um exame caro e exigente, normalmente o profissional atento consegue identificar os sinais e sintomas nos pacientes e controlar os seus danos, sem a necessidade da polissonografia.

O deficit de atenção está também associado ao aumento de cáries, uma vez que estas pessoas apresentam uma menor adesão às técnicas corretas de higiene, além de um uso maior de alimentos ricos em açúcar.

Medicamentos que estimulam o sistema nervoso central, utilizados para o tratamento de TDAH, pioram o quadro de BS. Há relatos de exacerbação do BS com o uso da Atamoxetina, ou desencadeamento do BS com Fluoxetina e Metilfenidato (Ritalina).

Sendo assim, é necessário que o cirurgião dentista compreenda a fundo os processos de TDAH para que saiba como proceder em pacientes que apresentam déficit  de atenção e que tenham bruxismo. É necessário que o cirurgião dentista consiga ao menos identificar traços do TDAH em seus pacientes com bruxismo e orientar ao profissional responsável para que este faça o correto diagnóstico e tratamento. São rotineiras as situações onde pacientes estão “destruindo” seus dentes e não sabem o que fazer para interromper este processo destrutivo.

Caso queira saber mais sobre a relação de TDAH e sono, clique aqui

 

 

 

 

 

Você pode gostar também

Polissonografia e sua importância para o bruxismo do sono

Polissonografia e sua importância para o bruxismo do sono. Quando falamos sobre o bruxismo, um...

Ansiedade e suas repercussões na boca

Em conversas particulares com psicólogos e psiquiatras, percebo hoje que vivemos numa sociedade altamente “doente”....

TENS para controle de dor orofacial e cefaléias

TENS para controle de dor orofacial e cefaléias. Como vimos em posts anteriores, as dores...

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*